• Regina Mota

É CARNAVAL, Regina Mota

A vida é movimento. As serpentinas desenham no espaço a alegria dos corpos que procuram euforia, beijo, abraço, afago. Arco-íris de confete cai, voa, rodopia. Alegria no salão, na avenida.

Só há lugar para a fantasia. O arlequim não quer mais chorar pelo amor da colombina no meio da multidão. É carnaval, é folia e ninguém chora. Foliões e trios elétricos se misturam. Apoteose, camarote, escola de samba, ala das baianas, glamour, desfile.

Corpos se movem, dançam, sambam: suor, morro, criatividade. Espetáculo: fantasia, carros alegóricos, musas. É carnaval e ninguém fica à toa na vida só pra ver a banda passar.

Serpentinas rodopiam e desenham no ar a alegria dos corpos que se unem numa ginga brejeira pra ver a mulata sambar. Mas o que foi que aconteceu com o arlequim e a colombina? Estão perdidos na multidão, na passarela do samba, no frevo e no maracatu. História de mais um carnaval.

O pensamento balança na saudade das marchinhas. A estrela-d’alva desponta no céu com muito brilho e esplendor. Pode faltar tudo na vida menos arroz, feijão e pão. Oh quanto riso! Oh quanta alegria! Mais de um palhaço no salão. Você pensa que cachaça é água, cachaça não é água não. O espetáculo bate forte no coração.

Corpos se movem: confete, serpentina e ginga na terra do samba, da criatividade. A alegria não tem cheiro, raça, cor. É carnaval, espetáculo da alegria! Hoje, apenas à toa na vida, felizes na terra do samba.

In.: Calendário Literário/2011 - UNIDUNI editora


2 visualizações

Quer saber mais sobre o curso? Será ótimo falar com você!

Entre em contato via Whatsapp/Telefone: 31 99115 6280 ou envie um email para: contato@cursoreginamota.com.br

 

Rua Alagoas, 1460 - sl 504 - Savassi - Belo Horizonte

A leitura faz a gente girar diferente pelo mundo.