• Regina Mota

Abril abençoado de livros, Regina Mota

Abril abençoado de ideias que voam e transformam grandes sertões de vidas secas em doces memórias póstumas de um Brás Cubas que ri com a vida. Infância de um menino de engenho que conhece um menino maluquinho cheio de histórias tão mágicas quanto aquelas contadas por Dona Benta lá no sítio do Pica-Pau Amarelo.


Livro, escrita, prazer, cuidado, transformação. A transparência de abril me faz mergulhar num encontro delicado da luta com as palavras. Secretas miradas de desejo. Letra a letra, caminho com arrepio de emoção. Pôr do sol de palavras.


Abril tem ideias que aconchegam. Companhia. Letras se desdobram em presença, presente. Palavras ganham vida. Mundo sem fim de história, arte, página com cheiro de novidade.


Livro-leitura-vida. Relação de sentido, toque, escuta, sinestesia. Janela que se abre. Brincadeira dos olhos na imaginação do leitor que troca ideia com o escritor.


Livro é palavra que puxa palavra e cochicha ao vento o segredo das possibilidades de quem lê. Livro combina com beleza de pôr do sol, poesia, Concerto de Leitura, alegria.


Abril é Concerto de Leitura, criança que recebe livro de presente e se emociona. É hora da estrela. Carinho, livro, aconchego. Para além dos olhos, da boca, leitura, descoberta do mundo.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Novembro: início do fim, Regina Mota

A vida é um deserto de histórias: superação. Silêncio quebrado. Na mansão dos mortos, posso erguer o dia, lançar minha alma ao vento. O destino brinca de esconde-esconde. “Quando a Indesejada das gent

Mundo encantado, Regina Mota

Mundo encantado, cantigas de roda, sapequice a toda hora. Momentos mágicos, olhar de alegria, descoberta. Criança cai, levanta, pinta o sete, brinca, alegra, gira, roda e vai ao “tororó” beber água. C

Arco-íris perfumado, Regina Mota

Adoro cheiro de mato, terra molhada, chuva com enxurrada no cascalho: primavera. Arco-íris perfumado coroa o céu colorido de pitangas vermelhas, cerejeiras em flor e flores de jasmim. Quando entrar se