• Regina Mota

Redação 980 - Enem 2019 - Isabel Dias

Tema: Democratização do Acesso ao cinema no Brasil

Na trilogia “Jogos Vorazes”, de Suzane Collins, é retratada a realidade do país distópico Panem, o qual é dividido em 12 distritos marcados por desigualdades entre si, em que os mais ricos oferecem à população o acesso facilitado para assistir a espetáculos, como os jogos, enquanto os distritos mais pobres têm acesso restrito a poucos estabelecimentos. Em paralelo ao contexto da trilogia, tem-se, na sociedade brasileira, o desigual alcance aos cinemas entre os indivíduos, visto que, em geral, sua presença se concentra em regiões de renda mais alta. Dessa forma, faz-se necessária a análise das circunstâncias para essa disparidade no acesso ao cinema, de modo a promover a sua democratização.

Em primeiro plano, destaca-se que a herança histórica excludente brasileira justifica o atual cenário de desigualdade no acesso ao cinema. Nesse âmbito, ressalta-se que a colonização portuguesa instaurou uma sociedade caracterizada pela concentração de renda, em que a parcela mais privilegiada dos cidadãos, por possuir uma renda maior, tem acesso facilitado a locais de lazer, como o cinema, quando comparada com a de renda menor. A partir disso, é possível compreender que as classes mais altas da sociedade, assim como em ‘Jogos Vorazes”, tendem a concentrar os cinemas em suas regiões, dificultando o acesso a ele.

Além disso, a carência de medidas governamentais para a promoção do alcance igualitário ao cinema, consiste como uma causa que dificulta sua democratização. Nesse sentido, comprova-se a necessidade dessas ações pela teoria da justiça como equidade do filósofo John Rawls, na qual o norte-americano afirma que é função do Estado promover políticas para a redução das desigualdades vigentes em um país. Logo, compreende-se, como no Brasil o acesso ao cinema é oferecido de maneira desigual, é essencial a atuação do governo para torná-lo homogêneo.

Evidencia-se, portanto, a necessidade de medidas para a democratização do acesso ao cinema no Brasil. Para isso, o Governo Federal - órgão responsável pelo bem-estar social -, em parceria com o Ministério da Cidadania, deve promover a facilidade desse acesso a todos, por meio da inauguração de cinemas gratuitos em regiões periféricas que não as possuem, que funcionem ao menos duas vezes na semana, a fim de possibilitar à população a ida ao cinema isenta de gastos e de grandes locomoções. Desse modo, a democratização para acessar os cinemas será efetivada no Brasil, assim como a justiça pela equidade proposta por John Rawls.

C1 = 4/5 = 180 C2 C3 C4 C5 = 200

Aprovada em Engenharia Química - UFMG


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Autocuidado, Djamila Ribeiro

Cuidar de si não é egoísmo ou algo exclusivo, mas autopreservação. Tem crescido a visibilidade de terapeutas holísticas, sobretudo negras Mulheres da minha família acreditavam que não podiam cuidar de

Um Enfermeiro, Machado de Assis

PARECE-LHE ENTÃO que o que se deu comigo em 1860, pode entrar numa página de livro? Vá que seja, com a condição única de que não há de divulgar nada antes da minha morte. Não esperará muito, pode ser