top of page
  • Foto do escritorRegina Mota

“Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil”, Júlia Kroehling Gil

As comunidades tradicionais brasileiras são compostas por grupos nativos em constante contato e preservação da natureza, como os indígenas, os quilombolas, os ribeirinhos e os pescadores. Esses agentes sociais encontram-se, principalmente, nos estados da Bahia, do Amazonas e do Pará, segundo dados do g1, e são negligenciados e marginalizados pelo resto da população. Desse modo, é necessário avaliar a importância dos povos autóctones no Brasil e, então, compreender os desafios para sua valorização.

Em primeira instância, verifica-se que a formação brasileira sofre intensa influência dos grupos nativos. Isso foi colocado em evidência pela 1ª Geração Modernista, no início do século XX, com o "Movimento Antropofágico", que propôs a ressignificação da cultura tradicional do território, de maneira a reconhecer a importância dos conhecimentos e práticas autóctones para a formação da identidade do povo. Nesse sentido, as pessoas em contato diário com a natureza são responsáveis pela raiz dos elementos culturais da nação, que unem os indivíduos de todos os estados do País. Sendo assim, foi visto como é imprescindível a presença e a valorização das comunidades tradicionais para a formação da identidade brasileira.

Em segunda instância, é notório que em dos desafios para o reconhecimento dos grupos em discussão é o preconceito e a invisibilidade. De acordo com o sociólogo Darcy Ribeiro, os povos nativos passaram por um processo de miscigenação violenta durante a colonização brasileira por Portugal, que apagou a presença desses grupos na sociedade e nas instituições de poder, ou seja, negou a participação dos indígenas, dos quilombolas e dos pescadores na comunidade colonial. Sob essa perspectiva, a mistura cultural foi combatida pelos portugueses, o que criou o desafio atual para a valorização dos grupos tradicionais. Logo, é urgente propor medidas que eliminem os obstáculos para o reconhecimento da importância dos indivíduos em pauta.

Portanto, cabe ao Ministério da Cidadania - órgão do Poder Executivo- elaborar programas nacionais gratuitos que ressaltem a diversidade da composição etnicocultural do Brasil. Tal ação deve se dar por meio de intercâmbios financiados entre as populações tradicionais nativas e os moradores das grandes cidades, com a participação em cargos institucionais e em congressos educativos, tendo como finalidade mitigar o desafio pontuado por Ribeiro e, assim, colocar em prática a proposta do "Movimento Antropofágico".

Estudante de Medicina – Aprovada 2º lugar UFMG - 2023 - Nota na redação Enem 2022: 980

Aluna de redação no Curso Regina Mota: 2021 e 2022

33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Redação 980 - Victor Augusto - Enem 2020

Tema: O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira Em “O Alienista”, ao concluir a obra com o psiquiatra internado na instituição que havia construído para prender “loucos”, Machado

Redação 980 - Enem 2018 - Gabriel Otoni

Tema: Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet A intensa coleta de dados na internet é responsável por manipular os desejos dos usuários e criar um ambiente no qual a

Comments


bottom of page